Luz no mundo

Vendo o que está a acontecer com as redes sociais, sobretudo com o facebook, com as questões da privacidade (ou falta dela), a falta de educação nos comentários, a publicação de notícias falsas (muitas vezes só por piada), o ajuste dos algoritmos para promover certas ideias ou esconder realidades inconvenientes, várias vezes me apeteceu retirar-me do Facebook, mas ontem à noite percebi uma coisa.

O Senhor Jesus disse-nos para sermos luz do mundo e sal da terra (Mt 5, 13-15) e o Papa S. João Paulo II disse na missa da beatificação dos Pastorinhos S. Francisco e S. Jacinta Marto “A Igreja quer, com este rito [da beatificação], colocar sobre o candelabro estas duas candeias que Deus acendeu para alumiar a humanidade nas suas horas sombrias e inquietas.”

Como a missão de cada prisão é ser testemunha da Boa Notícia que é o amor de Deus pelos homens, manifestado na sua encarnação, paixão, morte e ressurreição, para remissão dos nossos pecados e alcançarmos a plenitude das vida. Ser testemunha é usar todas as ferramentas que a inteligência humana providencia para que essa mensagem de esperança possa espalhar-se cada vez mais.

Lembro-me da cena final da primeira série de televisão «True detective»

Depois do fim da sua investigação os dois detectives, Marty e Rust conversam sobre o que lhes aconteceu.

Rust: Estar naquele quarto e olhar pela janela todos as noites e pensar que é só uma história. A mais antiga.
Marty: Qual? 
R: A luz conta a escuridão.
M: Bem, sei que não estamos no Alasca, mas parece-me que a escuridão tem mais território.
R: Sim, nisso tens razão
[…]
R: Sabes, estás a ver ao contrário, isso do céu
M: Como?
R: Bem, no início só havia a escuridão. Acho que a luz está a ganhar.

Esta é a nosso tarefa, continuar a ser uma luz, por mais pequena que seja, a brilhar na escuridão. Por isso vou continuar no facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Back to Top